segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Let's Face It!


Ok.
E lá foi este Migrante conversar com Mark Zuckerberg hoje em São Paulo.
Face-to-face com Mr. FaceBook it(him)self.
E como pênalti, boca-livre e chance de conhecer pessoas que estão escrevendo o nome na webstória não são coisas que se percam, fui feliz da vida.

O encontro foi rápido, num hotel de SP, entre um compromisso e outro de Mark.
Os convidados, além desta que digita, incluíam @diegoremus, @ericmessa, @rafaelsbarai, @mobilon, @jasper e @henriquemartin, entre outros.

Chegamos e Mark já estava no restaurante, em outra mesa, com jornalistas, entre eles, a galera do Link.
Bem e vamos ao que você quer saber, né?
Como ele é?
O cara que inventou um negócio que se transformou em nada mais nada menos do que a maior rede social do mundo.

Jovem.
Muito jovem.
Muito mais jovem do que seus 25 anos - feitos agora em maio.
Andando na rua, se disserem que ele tem 19, pouca gente duvida.
Mas mais jovem ainda do que a idade é o seu jeito de CEO.
Não sejamos ingênuos.
Mark Zuckerberg é um CEO.
Talvez o mais jovem CEO de uma empresa com 250 milhões de usuários.
Se o Facebook fosse um país, seria o quarto maior do mundo.
Maior que o Brasil.
De adolescente ele não tem mais nada.
É um CEO focado.
E quando começa a falar sabe muito objetivamente o que quer que você absorva.
Cada palavra do seu discurso tem um propósito.
Não há frases soltas.
Não há perda de tempo.
Falando assim parece um suit, né?
Mas não é.
Mark Zuckerberg tem uma energia muito empreendedora.
Empreendedora e jovem.
Herdou muita coisa do Antigo Silício.
Se você tem dúvidas leia Hooking Up, Tom Wolfe.
Capítulo Two Young Men Who Went West.
Não há como não olhar para Mark Zuckerberg e não ver nele um quê de Noyce [o fundador da Intel].
Mas estamos duas gerações à frente e a anos-luz do velho chip protestante.
Em comum é a energia.
Jovem e empreendedora.
E é ela que move o mundo.
Não o chip.

TÍMIDO?

Mas, vamos lá.
Já que o chefe é pra lá de focado, os assessores vão logo avisando.
Falem em português porque ele não entende nada do que vocês falam em inglês.
Tem toda razão a assessoria.
Não é o fato de ter nascido no estado de Nova Iorque [Dobbs Ferry] que o torna um daqueles cosmopolitas capazes de entender o sotaque de cab driver paquistanês em Manhattan, tipo o meu [rs].
Ah, e ele é tímido, avisam os assessores.
CEO tímido?
Sei.
Mas não é que ele é tímido mesmo?
Só que como todo bom e legítimo tímido [principalmente os que viram CEOs], dispara a falar.
Sem parar, que é para não cair naquele silêncio constrangedor que os tímidos tanto temem.
E, claro que Mark Zuckerberg não queria bater-papo com a galera.
Não veio ao Brasil para ouvir a blogosfera.
Veio para dizer.
Para que seja blogado o que ele tanto quer dizer.
De cara saiu falando de TBox, a integração com o Terra, o uso do Facebook Connect, tipo, usar as informações do FB em notícias no Terra.
Pareceu genuinamente animado com a parceria com o portal [pra quem não sabe o Terra é um dos maiores, senão o maior provedor latino de e-mails nos EUA. [boa parte de nuestros hermanos de lá tem o @terra.com na caixa postal].
E é vendo o olho dele brilhar tanto quando fala dessas parcerias que a gente percebe para onde caminha o futuro das redes sociais.
Como vão ser lucrativas?
Como crescer?
Recorde de usuário é bom mas não é tudo.
Se YouTube dá prejuízo, imagina as outras.
Não deve ser o caso do FB que, a julgar pela inquietude do CEO, já pedala há algum tempo nessa tal de lucratividade [tem cerca de 700 funcionários e faturamento estimado em 300 milhões de dólares/ano]
E algo nos diz que era isso mesmo que ele queria falar.
Das parcerias macros & micros.
O FB se orgulha dos aplicativos.
Da liberdade das interfaces.
Faz sentido.
Ao dar liberdade acabam agregando novas formas de compartilhar.
A palavra mágica do jovem Zuckerberg.

NÚMEROS

Some-se à tal parceria com o Terra um fato curioso.
O Brasil atingiu 1.3 milhão de usuários no FB.
Lembram o quanto a gente patinou naqueles eternos 250 mil?
Pois é.
Faz pouco tempo.
Porque só chegamos a este 1.3 porque o número de usuários dobrou nos últimos três meses.
Concordo com o Messa.
Se ele, Mark, não sabe, a gente pode fazer uma ideia.
Migração do Orkut [popularização, spams etc].
Bem, fato é que ao ver os números entrarem numa progressão dessa, Mark achou que era hora de vir dar um alô para essa rapaziada, player cada vez mais robusto em mídias sociais [quinto lugar no Twitter, lembram do post abaixo?].
Aí somou com o Fórum do Empreendedor da FGV [terça, às 11h, ao vivo no Facebook].
E de quebra uma conversa com desenvolvedores de aplicativos para fomentar o desejado intercâmbio [datada essa palavra, não?].
Mark sabe melhor do que ninguém a força da sua palavra mágica.
Compartilhar.

SOCIAL DROPS

Redes sociais são jovens, diz ele, e poderão chegar a 1 bilhão de usuários.
Concordamos.
Mas sem a China vai ser difícil.
E o FB é banido na China.
Para chegar lá algum dia terão que entrar num acordo com as autoridades de Xangai.
Pelo visto ainda demora.
Ou não.
Vai saber.
Mark diz que o FB vai muitíssimo bem no Oriente Médio.
Não dá números.
Mas garante que na Turquia é "huge".
E a pergunta mais marcante de toda a conversa.
O Facebook é uma social network ou uma social utility?
Como todo fundador, ele tem uma visão messiânica da cria.
Acredita que o FB é mais que uma rede social.
Foi além e ganhou força ao promover mais o compartilhar e a integração.
Na era do 'eu-broadcast' faz todo o sentido.
Concordo quando ele diz que é por isso que o FB tem muito mais foto que o Flickr. [e tem mesmo. são mais de 1 bilhão de fotos uploadadas por mês. afe!].
Só que tenho uma teoria pessoal de botequim que o Orkut é pioneiro [bem, na prática, o Orkut é só 1 mês mais velho que o FB. o Orkut é de janeiro de 2004, o FB é de fevereiro/2004 - pena que foi invadido e dominado pelos brasileiros [rs], e teve os investimentos cortados].
Mas acho que esse seria o caminho natural das duas redes.
O que não tira minha admiração pela startup de Zuckerberg.
O Facebook soube ocupar um gap.
Fez por merecer.
Ganhou seu lugar na história das redes sociais.
E Mark Zuckerberg faz parte dela.
Um cara que vale a pena conhecer.
Seja lá o que ele queira vir ao Brasil para dizer.

8 comentários:

Fernando disse...

Ótimo post! Ótimo assunto!
Gracias!!!!
F.Noel

Guta Nascimento disse...

[fala noelito]
[mark zuckerberg é engraçado]
[gente que faz - rs]

Rosa maria magalhaes disse...

Olá Guta, estava esperndo esse post.
O que você achou da palestra on line dele hoje no FB?

Angélica disse...

Oi Guta,
Adorei o post, pena que não deu pra participar da palestra online dele hj.
bjs

Guta Nascimento disse...

[@rosa @angelica]
[também não vi]
[tava camelando online pra @agenciatouareg na hora]
[não tive como]
[vou tentar ver com calma os posts da galera pra saber o que rolou]
[the kid rules]
[ks]

Bruno Ayres disse...

Maravilha de post. obrigado, migrantedigital!

Monica Loureiro disse...

Gostei de aprender mais sobre este assunto...

Lay disse...

Ótimo pos". A tua forma "leve e atenta aos detalhes" de escrever é agradabilíssima de ler!

Amei.