terça-feira, 25 de setembro de 2007

Um Dia Para Se Estar em NY


A foto acima é de Damon Winter, do The New York Times.
O campus é o da Universidade de Columbia, em Nova York.
O cidadão no cartaz fala hoje na Assembléia Geral das Nações Unidas.
Bush também.
Difícil dizer quem vai provocar mais protestos.
Columbia viveu ontem um dia histórico.
Desde que convidou Ahmadinejad para uma palestra, a universidade vive uma salutar discussão sobre liberdade de expressão.
Um dos protestos mais agressivos é um folder endereçado ao presidente da instituição, dizendo 'puxa que pena que o Bin Laden não está disponível'.
Contra ou a favor, fato é que os estudantes duelaram para ter acesso ao auditório
Os tíquetes online para o evento se esgotaram, semana passada, em uma hora e meia.
Segundo dizem, o mesmo tempo levado pelos ingressos do show do Bruce Springsteen.
Quem não conseguiu entrar, assistiu de um telão no campus.
Lá dentro, Ahmadinejad falou o que dele se esperava.
Que o Irã não reconhecia Israel e que - se é que o Holocausto existiu - os palestinos não deveriam pagar o preço.
Na cara dos americanos, acusou os EUA de criar a 5a geração de bomba atômica, testá-las, e perguntou quem eram eles para questionar o desejo nuclear de outros povos.
É, um dia e tanto nesse campus no coração da América.
Esquisito mesmo foi o presidente da Universidade, Lee C. Bollinger.
Sob ataque ferrenho desde que fez o convite - até Bush deu uma alfinetada publicamente - Bollinger abriu o encontro atacando o convidado.
Cara-a-cara, disse que Ahmadinejad tinha todos os sinais de um cruel ditador.
Chamou-o de provocador e mal-educado.
E que o iraniano não teria coragem intelectual pra responder às perguntas.
Bem, aprendi na minha casa que quem fala o que quer, ouve o que não quer.
Ahmadinejad respondeu que no Irã quando uma pessoa é convidada a falar, os estudantes são suficientemente respeitados para que se deixe que eles próprios tirem suas conclusões, e que não era necessário antes da palestra atacar o convidado para se precaver dos ataques da universidade e da faculdade.
Ui !
Foi aplaudido.
Ahmadinejad afirmou ainda que gostaria de visitar o Ground Zero.
A polícia já disse que não vai deixar.
Vale lembrar que o presidente do Irã tem - sob lei internacional e protocolo diplomático - permissão para circular livremente dentro de um raio de 25 milhas do Columbus Circle.
Nossa, como eu queria ter estado lá !
Vale a pena ver a matéria do NYT, onde li essas informações.
Na página tem um video feito pelo jornal com a opinião dos alunos.
O bate-boca sobre o evento vai durar um bom tempo.
E com certeza entrará para a história de Columbia.
Em alguns episódios, uma universidade ruinosamente conservadora.
Em outros, corajosa e capaz de criar uma discussão tão importante quanto esta.

Um comentário:

Mariana Lemann disse...

Ontem Ahmadinejad conversou com Charlie Rose.

http://www.charlierose.com/shows/2007/09/24/1/a-conversation-with-mahmoud-ahmadinejad

Semana que vem, acabo de descobrir, que vai encarar o entrevistador é Lula.

Beijos
Mari