sexta-feira, 28 de setembro de 2007

Voce Nao Vai Acreditar ...

A menina de sorriso bonito à direita é a Aninha Konichi.
Na ponta esquerda, Sérgio Utsch, repórter do SBT que, em breve, contará aqui no Migrante sua Primeira Vez.
Mas duvido que você advinhe quem é o casal ao meio.
Ele tem quase 80 anos.
Ela é a simpática esposa.
São atores de alguns dos personagens mais queridos da televisão.
Ainda não reconheceu ?
Olhe bem para o olhar terno, quase inocente, do velhinho.
Não te lembra alguém ?
Você acha que sim, mas não tem certeza de quem.
Ninguém quase o reconhece mas você está diante de Roberto Gómez Bolaños, o criador do Chaves !

Quando soube do encontro também não acreditei.
Imaginei como eu me sentiria.
Por isso pedi à Aninha para contar ao Migrante o que se sente ao conhecer um personagem tão incrível, assim, de pertinho.

Por Ana Cláudia Konichi

Meu depoimento não é pra coluna "A Primeira Vez".
Mas até poderia ser.
Contarei aqui sobre a minha primeira viagem a trabalho ao exterior e responderei, pela primeira vez em bytes, à pergunta que desde que voltei da Cidade do México, há três semanas, respondo diariamente, ao vivo e em cores.
"Como foi a entrevista com o Chaves ?"
Não, não o Hugo Chávez.
"O Chaves (???)
Ele mesmo, isso, isso, isso."
Sérgio Utsch, o repórter, Valdir Cândido, o repórter-cinematográfico, e eu, a produtora, chegamos à capital mexicana na quinta-feira à noite, dia 6 de setembro.
A idéia seria voltarmos ao Brasil com três matérias produzidas.
Uma delas, como já disse, com Roberto Gómez Bolaños, 78 anos, intérprete e escritor do Chaves.
A entrevista aconteceu na sexta-feira à noite, no Teatro Libanês, onde Chespirito, como o ator é conhecido no México, é protagonista de uma peça - "Once y Doce", que é recorde de público no país.
Apesar de já tê-lo visto fora do seriado, fiquei impressionada quando ele apareceu no auditório para nos receber.
Ele é um vovozinho !, eu pensei.
Todo fofo, veio nos cumprimentar e dizer que era um prazer estar conosco, que adora os brasileiros e que, tadinho, deveríamos falar alto porque ele está meio surdo.
E até apertou minhas bochechas !!!
Em seguida, aparece a Dona Florinda, que também se chama Florinda na vida real e é casada com o ator.
Não sei se é verdade, mas diz a lenda que ela era casada com o Quico e separou-se dele pra ficar com o Chaves !
Começamos a entrevista enquanto ela foi se maquiar para a peça.
O bate-papo do Utsch com ele, que deveria ter durado 20 minutos, estendeu-se por uma hora.
Chaves contou que só esteve no Brasil uma vez e, acreditem, só descobriu o quanto é querido em nosso país quando encontrou um grupo de turistas brasileiros na Argentina !!!
Ele disse que ficou surpreso com as pessoas que não paravam de pedir autógrafos !!!
Continuo achando que ele não tem idéia do fenômeno que ele é por aqui.
Ele também falou sobre a criação do Chaves e que a versão em português é a preferida, que ele adora as vozes dos personagens !!!
Acho que quase ninguém sabe, mas durante a produção da matéria, descobri que o seriado foi traduzido pro inglês, russo, chinês, passou em mais de 90 países e foi recorde de audiência em todos !!!
O ator também falou sobre censura (até o Chaves foi ameaçado!) e criticou a política internacional dos Estados Unidos.
O Utsch perguntou se ele se sentia um professor por ter ensinado a várias pessoas de todo o mundo como um garoto pobre pode ser feliz, mesmo sem pai, sem casa, sem comida.
Aí Dona Florinda voltou.
E antes que ele respondesse, disse que ele não é um bom mestre, que ele não sabe ensinar com didática, mas com exemplos e histórias.
Disse que tudo que ele faz é bem-feito, fez vários elogios às qualidades do marido ... praticamente uma declaração de amor! E eu só lembrando do seriado e da cara de apaixonada dela lembrando do Professor Girafales !
Enfim, a entrevista foi ótima e muito divertida !
E claro, no final, pedimos pra tirar uma foto com ele !
É essa que está aí !
E eu, que nunca tinha sido muuuito fã do Chaves, saí encantada com ele, ou melhor, com o velhinho que o criou !

Um comentário:

priscila disse...

O Chaves reconheci de cara, mas a Dona Florinda, não.
Quando vi as fotos no site do SBT nem acreditei que fosse ela.
Sempre fui fã, aliás, a minha família adora. Assistimos até hoje.